1. Renove as energias da sua casa
  2. Sobre o que não podemos prometer
  3. Para o ano de 2019
  4. Organizar a casa gastando pouco
  5. Lenscope: as lentes para os seus óculos pela internet
  6. Como limpar meias encardidas: a solução
  7. Decorar com papel de parede
  8. Esponja mágica Super Storm funciona?
  9. Dia das crianças está chegando
  10. Como tirar mancha de canetinha da roupa
  11. Viagem de carro com crianças
  12. 6 utensílios básicos na cozinha
  13. Como você cuida da sua escova de dente?
  14. Meu filho bate no irmão… e agora?
  15. Duas maneiras de dobrar as meias
  16. 5 dicas para remodelar a casa gastando pouco
  17. Linhaça: 5 motivos para você incluir na sua alimentação
  18. Massagem “I love you” para bebês
  19. Escarlatina: o que é, contágio e tratamento
  20. Vamos fazer as unhas em casa?
  21. Bolo de laranja com calda
  22. Organização e limpeza andam juntas
  23. Voltar ao trabalho ou ficar com o bebê em casa?
  24. Livro: Não é um conto de fadas – Kim Rosacuca
  25. Como fazer farinha de rosca em casa
  26. 10 temperos para substituir o sal
  27. Como renovar os botões da sua roupa facilmente
  28. Plante uma árvore e ajude o planeta
  29. Dezembro Laranja: mês da conscientização do câncer da pele
  30. Quarto limpo, vida saudável
  31. Delícias da casa: Bolo de chocolate denso
  32. Cuidado com a mochila
  33. Filme: Whiplash – Em busca da Perfeição
  34. Desenhos animados que ensinam
  35. Plants are noticed by me
  36. Como identificar os símbolos das etiquetas
  37. Dicas para organizar uma festa junina em casa
  38. DIY: caixinha organizadora decorada
  39. 6 dicas para cuidar do aquecedor elétrico
  40. Como cuidar do seu varal
  41. Mulher e saúde
  42. Planner… o queridinho do momento
  43. Then they are still using her
  44. Soluções inovadoras para o dia-a-dia
  45. Could refuse to pay expensive
  46. Could impress upon paper
  47. Passeio Museu Catavento
  48. Herpes Zoster: você sabe o que é?
  49. Sal com ervas
  50. Filme: Chef
  51. 5 dicas de decoração ‘em conta’ para sua casa
  52. Desmame… o fim!
  53. Her for their projects again
  54. Heaven and earth seem
  55. Leitura: Dicas para a vida
  56. Where it came from it
  57. Dias e noites mais refrescantes
  58. When darkness overspreads
  59. Then she continued her way
  60. My soul is the mirror
  61. Into the belt and made
  62. Água saborizada
  63. Como deixar a casa perfumada
  64. Filme: Um porto seguro
  65. Resumo de 2015 e objetivos para 2016
  66. The breath of that universal love
  67. Feliz Ano Novo
  68. Feliz Natal
  69. Bate papo na Livraria
  70. 5 famosas Árvores de Natal
  71. Clima Natalino
  72. Religião e crianças
  73. Produtos orgânicos a preços acessíveis
  74. Parque Salvador Arena
  75. Sobre a independência da criança
  76. Unhas para o Halloween
  77. Como cuidar das roupas pretas
  78. Sobre abuso sexual infantil
  79. Mãe sofre… e pai também!
  80. Simplificando a vida da mulher moderna
  81. Ariel Power Liquid – Lançamento
  82. Première Barbie Rock’n Royals
  83. Ler é o maior barato
  84. Ciúmes entre irmãs
  85. Comer pra quê?
  86. Ferro a vapor Arno Ultragliss
  87. Carinho com a sua casa
  88. Você tem super poderes?
  89. Como limpar o microondas
  90. Dica de organização: saco organizador a vácuo
  91. Criança, legumes e verduras
  92. Como dobrar lençol de elástico
  93. Como remover mancha de mofo dos tecidos
  94. Dicas de roteiros e cuidados para viajar de carro
  95. Eu quero saber…
  96. Delícias da casa: Bolo de fubá cozido
  97. Nova loja Bibi na Oscar Freire
  98. 10 dicas para economizar no mercado em tempos de crise
  99. Hidratação na hora do banho
  100. 5 lugares para conhecer em São Paulo
  101. Filme: Cada um na sua casa
  102. Idade terrível ou fase?
  103. Filme: Cinderela
  104. Livro: Uma prova de amor
  105. Papo com as amigas: Rotina
  106. Como limpar o ferro de passar roupa
  107. Proteção e cuidado com as unhas
  108. Mensagem à mamãe de primeira viagem
  109. A importância das roupas para as mulheres
  110. Coleção Outono/Inverno Brandili 2015
  111. Kellogg’s relança Sucrilhos Power Pops
  112. O que tem na lancheira do seu filho?
  113. Como lavar e cuidar bem dos seus travesseiros
  114. Feliz dia Internacional da Mulher
  115. Filme: Sniper Americano
  116. Delícias da casa: molho de tomate caseiro
  117. 8 ideias para bolo de fradas
  118. Organização com as etiquetas Tikebum
  119. Faça sua própria ‘escova’ de cozinha
  120. Tapioca: 5 motivos para incluir no seu cardápio
  121. Lançamento Malvratrikids Mommy
  122. Volta às aulas e prevenção de doenças
  123. 5 dicas de como economizar energia elétrica na sua casa
  124. Suco bronzeador
  125. 8 objetivos para 2015
  126. Melhores invenções domésticas: máquina de lavar roupa
  127. Desfralde – o fim
  128. Feliz Ano Novo
  129. 8 ideias para decorar a mesa de Natal
  130. Diversão na hora do banho
  131. Dicas de decoração de Natal para a sua casa
  132. Mães dona de casa
  133. Porcelanatos para ambientes pequenos
  134. 6 ideias para decorar as paredes da sua casa
  135. Como sobreviver aos primeiros dias do bebê
  136. Escova de dente para limpar a casa?
  137. Desenhou? Virou bichinho de pelúcia
  138. Dica de APP: Baby Bundle
  139. Panos de limpeza feitos em casa
  140. Alimentação saudável no verão
  141. Desfralde – o desencanto
  142. Melhores invenções domésticas – parte 2
  143. Salário Maternidade MEI
  144. O parto e o respeito
  145. APP Eu, dona de casa!(?)
  146. O que você quer ser quando crescer?
  147. Dicas para organizar uma festa
  148. Outubro Rosa: blogueiras unidas contra o câncer de mama
  149. Caderno de receita?
  150. Dia das crianças com a Brandili
  151. Descarte de exames de imagem
  152. Dica de APP: Cozy Family
  153. Supermercado: compras mensais x compras semanais
  154. Aromatizadores “Botica de Banho”
  155. Amantes de livros
  156. O ciúme da irmã mais velha
  157. Ela chegou!
  158. Nova diarista: como contratar?
  159. Guardar botas de cano longo
  160. O chá de bebê e a irmã mais velha
  161. Sentimentos de uma mãe de segunda viagem
  162. Móveis brancos… como limpar?
  163. Bye Bye Chupeta
  164. Casa Arrumada
  165. SORTEIO: Pelúcias Peppa Pig
  166. Desfralde: do quase sucesso ao quase praticamente sucesso
  167. O que não dizer para uma grávida – parte 2
  168. Filme: Histórias Cruzadas
  169. Donas de casa com personalidade
  170. O nosso chá de bebê
  171. Organizar brincos e colares
  172. Como fazer para manter a casa arrumada?
  173. Lista para o chá de bebê
  174. ‘Golf Ball’ no Ultrassom Obstétrico
  175. Fecho de saquinho com garrafa pet
  176. Temperinho caseiro
  177. Dicas para decorar sua cozinha com utensílios e eletrodomésticos
  178. Ultrassom 3D/4D – fazer ou não fazer?
  179. Leitura: O menino do pijama listrado
  180. Como armazenar os alimentos na geladeira
  181. Sobre amamentação
  182. Você organiza as suas contas?
  183. O tempero nosso de cada dia – parte 1
  184. E o chá de bebê?
  185. Feliz dia das mães
  186. O que eu ganhei deixando de trabalhar fora?
  187. Lista de desejos para o dia das mães
  188. Filme: Uma prova de amor
  189. Curso de gestante online
  190. Calda em ponto de fio
  191. Desapegar é só começar
  192. Hidroginástica na gravidez
  193. Roupas bem cuidadas
  194. BC: dia da família sem eletrônicos
  195. Como tirar o queimado da panela?
  196. Mãe de menina
  197. Como otimizar seu tempo na cozinha
  198. Rotina atividade doméstica
  199. Desfralde: do sucesso ao quase sucesso
  200. Como manter a salada fresca por mais tempo
  201. Por que passar roupas?
  202. EDC denuncia: falso e-mail ingresso.com
  203. A segunda vez é diferente?
  204. Filme: O impossível
  205. Delícias da casa: chips de mandioquinha salsa
  206. Desfralde: do sucesso ao fracasso
  207. Feliz dia da Mulher
  208. E quem gosta de Carnaval?
  209. Cálculos gestacionais
  210. Socorro… minha diarista fugiu! – (continuação)
  211. Socorro… minha diarista fugiu!
  212. Candidíase na gravidez
  213. Melhores invenções domésticas – parte 1
  214. 6 semanas e um susto
  215. Eu, dona de casa, PLANTO ÁRVORES
  216. Inocência Infantil – parte três
  217. Como eliminar o odor da geladeira
  218. Guarujá com muitas opções de lazer
  219. Uma nova (e ótima) fase
  220. Gentileza gera gentileza?
  221. O carro delas x o carro deles
  222. Procura-se esta garota
  223. Dica de app: Cerberus
  224. Artes da casa: jogo de casal
  225. Delícias da casa: bolo de banana e canela
  226. Fim de férias + material escolar
  227. Laboratório Daudt
  228. Vamos pegar no tranco?
  229. Feliz Ano Novo
  230. Top 5 momentos: Dezembro – semanas 49, 50, 51 e 52
  231. Feliz Natal
  232. Decorar a casa… e agora?
  233. Descarte de documentos – parte 2
  234. Resultado Sorteio de Natal Natureba
  235. Sexta da Saúde: desafio de final de ano
  236. Sorteio de Natal
  237. Direitos das donas de casa
  238. Sexta da saúde: alimente-se bem e tenha saúde
  239. Top 5 momentos: Novembro – semanas 44, 45, 46, 47 e 48 Top 5 momentos: Novembro – semanas 44, 45, 46, 47 e 48
  240. Passeio ao Sítio do Picapau Amarelo
  241. Férias escolares
  242. Descarte de documentos – parte 1
  243. Dica app infantil: Bug builder
  244. Parceria Tutto Natural + Sorteio de Natal
  245. Donas de casa com estilo
  246. Dia mais que especial
  247. Delícias da casa: Receita de pão caseiro
  248. Lista para compras de Natal
  249. Dicas para lavagem de roupas
  250. Artes da casa: toalha de banho personalizada
  251. Top 5 momentos: Outubro – semana 40, 41, 42 e 43
  252. Leitura: Um ano inesquecível
  253. Flores que alegram e perfumam
  254. Nossa rotina escolar
  255. Por que usar luvas de limpeza?
  256. Top 5 momentos: Setembro – semana 37, 38 e 39
  257. Leitura: Assuntos pendentes
  258. Delícias da casa: molho branco fácil
  259. Como funciona o Brasil?
  260. Vantagens e desvantagens do sabão líquido e do sabão em pó
  261. Artes da casa: natal
  262. Top 5 momentos: Setembro – semana 35 e 36
  263. Resultado do sorteio e FELIZ DIA DA DONA DE CASA
  264. Sorteio ‘Amiga da Casa’
  265. MOP – um aliado na limpeza
  266. Top 5 momentos – Agosto: semana 33 e 34
  267. ‘Coleira’ infantil: você usaria?
  268. O estilo vintage na decoração
  269. Dica para a hora das compras no supermercado
  270. BC: a primeira vez que te vi
  271. Água em jejum faz bem?
  272. Top 5 momentos: Agosto – semana 31 e 32
  273. Sorteio ‘Amiga da Casa’
  274. Como passar camisa social em 6 passos
  275. O dia da(s) primeira(s) vez(es)
  276. Outras utilidades do sabão em pó
  277. Luisa e sua adaptação na escola – parte 2
  278. Top 5 momentos: Julho – semana 30
  279. Bloqueada, mas não banida
  280. Sabonete cremoso redutor de odores – Mahogany
  281. Top 5 momentos: Julho – semana 29
  282. O EDC quer te conhecer
  283. Celulite orbitária: você sabe o que é?
  284. Top 5 momentos: Julho – semana 27 e 28
  285. Luisa e sua adaptação na escola – parte 1
  286. Como remover a pele do tomate
  287. Top 5 momentos: Junho – semana 25 e 26
  288. Sem chance de sobrevivência
  289. Como tirar as mais temidas manchas de suas roupas
  290. Dica de nutrição
  291. Paranóias sobre a rotina
  292. Farmácia do bebê para viagem
  293. Top 5 momentos: Junho – semana 24
  294. Menina super desenvolvida
  295. Delícias da casa: panqueca americana
  296. Férias – destino Miami e Orlando (parte 2)
  297. Férias – destino Miami e Orlando (parte 1)
  298. Feliz dia dos pais
  299. Tag ‘complete a frase’
  300. Feliz aniversário!
  301. O primeiro dia de escola
  302. Revanche
  303. Um pedido de ajuda
  304. Dona de casa (e mãe) também namora
  305. Ganhei o dia
  306. Top 5 momentos: Junho – semanas 22 e 23
  307. Ô lôco, mãe!
  308. Escola à vista
  309. Substituto para o Google Reader
  310. Tecnologia para dona de casa – parte 1
  311. Sobre sonhos e… fome!
  312. O ‘não’ e a culpa
  313. Episódio do sabonete – parte 2
  314. Top 5 momentos: Maio – semanas 20 e 21
  315. A Claro e o desrespeito com seus clientes
  316. E lá se foi…
  317. Feliz dia dos namorados
  318. Oi (?!) – parte 4
  319. Top 5 momentos: Maio – semanas 18 e 19
  320. Isso acontece!
  321. Chupeta sim, chupeta não!
  322. Top 5 momentos: Abril – semana 15, 16 e 17
  323. Que fase – parte 2
  324. Voltei… será?
  325. Férias
  326. É verdade!
  327. Top 5 momentos
  328. Dica app infantil: Zig Zig Zaa
  329. Top 5 momentos: Março – semana 12
  330. Dá pra acreditar?
  331. To 5 momentos: Março – semana 11
  332. Descoberta
  333. Top 5 momentos: Março – semana 10
  334. Top 5 momentos: Fevereiro – semana 9
  335. Recém dona de casa
  336. Top 5 momentos: Fevereiro – semana 8
  337. Alguém pode me explicar?
  338. Top 5 momentos: Fevereiro – semana 7
  339. Para descontrair
  340. Top 5 momentos: Fevereiro – semana 6
  341. E ela me fez chorar
  342. Top 5 momentos – Janeiro
  343. Papai?
  344. Ai, que desespero!
  345. Frases interessantes – parte 2
  346. Socorro!
  347. Já está na hora (?)
  348. Aqui não, gavião!
  349. Em 2013
  350. Férias
  351. Meme: falando sobre mim – parte 6 “O retorno”
  352. Demorou… mas consegui!
  353. Dica de presente
  354. Meme: falando sobre mim – parte 5
  355. Meme: falando sobre mim – parte 4
  356. Meme: falando sobre mim – parte 3
  357. Nova versão ‘Esse cara sou eu’
  358. BC: Todos contra a violência
  359. Meme: falando sobre mim – parte 2
  360. Meme: falando sobre mim – parte 1
  361. E aí, amadenhaaasss!?
  362. Inocência infantil – parte dois
  363. Enfim, livre!
  364. Frase da semana
  365. Só porque eu não trabalho fora
  366. Surpresa, mamãe!
  367. Oi (?!) – parte 3
  368. Coisa de mulher
  369. Obrigada e feliz dia das dona de casa
  370. Dona de casa
  371. Bracinho dodói
  372. Prêmio
  373. Declaração de amor à dona de casa
  374. Vida de dona de casa
  375. ‘Eu sou feliz em casa’ – por Nina
  376. Horário de verão
  377. ‘Eu sou feliz em casa’ – por Alana
  378. ‘Eu sou feliz em casa’ – por Cláudia
  379. Receita cupcake de chocolate
  380. ‘Eu sou feliz em casa’ – por Lívia
  381. ‘Eu sou feliz em casa’ – por Eloa
  382. Dia especial
  383. ‘Eu sou feliz em casa’ – por Rejane
  384. ‘Eu sou feliz em casa’ – por Karina
  385. Amizade
  386. Cantiga
  387. Episódio do sabonete
  388. Arroz integral: como se faz?
  389. Se ela dança…
  390. Convite
  391. Didática paterna
  392. Bem vindos!
  393. Sobre a rotina
  394. Luisa dodói
  395. Oi (?!) – parte 2
  396. Imitações
  397. Toalha bordada
  398. Passinhos!
  399. Para Luisa!
  400. Festerê
  401. Desacelerando…
  402. Pérolas Olímpicas
  403. Gracinhas
  404. Resultado sorteio ‘Um mimo para o meu bebê’
  405. Feliz dia do amigo!
  406. Dia ‘nacional’ dos machos!
  407. Sorteio ‘Um mimo para o meu bebê’
  408. Agora eu entendi…
  409. Missão impossível
  410. 1 aninho
  411. A rosa e a couve-flor
  412. A vida como ela é
  413. Coisas de mãe!(?)
  414. Dica de organização
  415. Chicago: Roteiro
  416. Como vc lava roupas?
  417. O ‘Chicaguense’
  418. Bom, ruim e terrível
  419. Que fase!
  420. Comemorações
  421. Enquanto isso…
  422. Chicago Premium Outlet
  423. Sobre Chicago
  424. Inocência infantil
  425. Olá
  426. Amor maternal
  427. Estou de volta…
  428. Feliz dia das mães
  429. Show de mágica
  430. Férias… e o destino: Chicago
  431. Muito rápido
  432. Blogagem coletiva: A maternidade tem gosto de que?
  433. Só acontece comigo?
  434. Dia da sogra
  435. Arteirices da Luisa
  436. Rápidas atualizações
  437. Transformação
  438. Um bebê que assovia
  439. Ainda sobre a vacina contra gripe
  440. Tipos de salário
  441. Qual é a graça?
  442. Vacina da gripe
  443. Então…
  444. Interatividade
  445. Feliz Páscoa
  446. Virada no Jiraya
  447. Escolhas
  448. Matando a curiosidade
  449. Dessa eu não sabia
  450. Passaporte para bebê
  451. Mudando a estratégia
  452. And the book goes to…
  453. Final Sebo Concurso
  454. Roséola infantil
  455. Atualizando
  456. Febre
  457. Resultado
  458. Votação Sebo-Concurso
  459. Votação Sebo Concurso
  460. I am back!
  461. E lá vamos nós…
  462. Tô véia
  463. 1° Sebo-Concurso
  464. Verdade
  465. Cinema com CineMaterna
  466. Susto + novidade
  467. Presentes
  468. Cara nova
  469. E o ciclo se encerrou
  470. Tô dentro!
  471. Ai… Ai
  472. Selo
  473. Pronto… tá decidido!
  474. Não deu!
  475. Tô super chateada
  476. Serviço de utilidade doméstica
  477. Obrigada!
  478. Help
  479. É hoje…
  480. Incrível descoberta
  481. Ser ou não ser?
  482. Feliz 2012
  483. Resultado do sorteio
  484. Feliz Natal!
  485. Seria bom né…
  486. Agora vai
  487. Sorteio
  488. Luisa e o papai noel
  489. 1º Suquinho + 4 meses
  490. Ódio
  491. Oi (?!) – parte 1
  492. Socorro!
  493. Fofinha da mamãe!
  494. Ufa!
  495. Mãe… só tem uma!
  496. Shantala
  497. Licença maternidade
  498. O QUEEEEEEEE???
  499. Coisas que eu nunca vi
  500. Dia internacional do homem
  501. Não tem vírus aqui
  502. Papo cabeça
  503. Desse eu gostei!!!
  504. Mãe do corpo
  505. Comerciais que eu odeio – II
  506. Aviso aos navegantes!
  507. Atualizando…
  508. O dia ‘P’
  509. 1, 2, 3… testando!
  510. É hoje, hein!
  511. Aí sim…
  512. News
  513. Frio na barriga???
  514. A malinha de mamã
  515. Está quase pronto
  516. Olha ela aí
  517. Expectativa
  518. Festerê e Mimos
  519. O que não dizer para uma grávida…
  520. Genteeeem!
  521. Curso para gestantes
  522. Chegou o grande dia!
  523. Óia eu aqui!
  524. Essa é a Luisa!
  525. Tá ficando assim ó…
  526. Confusões acontecem!
  527. Luisa Kung-fu
  528. Desejos!(?)
  529. Aviso aos navegantes
  530. Atrasadíssima…
  531. Luisa mexe-mexe
  532. Dicas de beleza
  533. Desejo
  534. El barrigón…
  535. Meninas, eu vi… ‘Querido John’
  536. Eu quero a minha mãe!!!!
  537. Comerciais que eu odeio – I
  538. Hello folks!
  539. Tamu indo!
  540. Óia eu aqui!
  541. Atualizações
  542. Planos
  543. É menino ou menina?
  544. 13 semanas
  545. Ordem de nascimentos dos filhos
  546. Acontece!
  547. O descobrimento…
  548. Momentos à três
  549. Papo sério – oração
  550. Alvará
  551. E os sintomas??
  552. News
  553. Feliz 2011!
  554. Feliz Natal!
  555. Cada coisa, hein!
  556. Oiê!
  557. Satisfações!
  558. Mulher sofre!
  559. Sem palavras!
  560. Serviço de utilidade feminina: cera para depilação
  561. Os 10 mandamentos do casamento
  562. Trombofilia: vc sabe o que é?
  563. Ah, tá!
  564. Dia da dona de casa!
  565. Ler faz crescer!
  566. Meninas, eu vi…
  567. Haja paciência!
  568. Saldo do feriadão
  569. Coisas que eu odeio em época/dia de eleições
  570. Perguntas idiotas, respostas cretinas!
  571. Coisas a parte
  572. Frases interessantes – parte 1
  573. Tabelinha
  574. Serviço de utilidade doméstica: reciclagem de lixo
  575. Previsão findi semana prolongado!
  576. A importância de um zero à esquerda!
  577. Contrariando as leis da ciência…
  578. Hã?!
  579. And the stamp goes to…
  580. Instabilidade feminina
  581. Intimidades
  582. Almoço do dia dos pais
  583. Peculiaridade de morar em SP
  584. O Google é do mal
  585. Twitter
  586. Livro da vez: ‘O símbolo perdido’
  587. Eu uso!!!
  588. Hum… acho que não!!!
  589. Dá-lhe feriado!!!
  590. Furo de reportagem
  591. Tattoo
  592. Sogra não é parente… é castigo!
  593. Flores… muitas flores!
  594. And the stamp goes to…
  595. Romance
  596. Buenos Aires – parte IV: Aeroporto
  597. Buenos Aires – parte III: outras ‘cositas’
  598. Buenos Aires – parte II: Cena Show – Complejo Tango
  599. Buenos Aires – parte I: Viagem
  600. Bodas de algodão
  601. Hasta la vista!
  602. Questões de amizade
  603. Proposta indecente!
  604. Ufa!!!
  605. Oh dia!!!
  606. Coisa de criança
  607. ‘Como pude deixar chegar a esse ponto?’
  608. Lavar, passar, cozinhar, limpar…
  609. Danos causados pela cerveja
  610. Pensando no futuro!!!
  611. Danilo Gentili – Volume 1
  612. ai… ai… ai !!!
  613. Menina de Ouro
  614. Nossa visita ao Erótika Fair
  615. Here I go again…

É do conhecimento de todos que acompanham o blog de longa data que eu deixei de trabalhar fora logo depois que a minha licença maternidade terminou.

Sim, eu deixei de trabalhar fora para cuidar da minha filha.
Sim, eu recebi o apoio do meu marido, mas deixar de trabalhar fora foi uma decisão minha.
Sim, eu poderia me arrepender dessa decisão, mas nada que não pudesse voltar atrás.
Sim, eu deixaria de ter uma vida social, uma ocupação, um salário e um chefe me apurrinhando a paciência.

Não! Eu não poderia delegar a criação da minha filha à outra pessoa.
Não! Eu não poderia e não queria perder cada momento do crescimento e desenvolvimento da minha filha.
Não! Eu não queria ver minha filha de manhã, passar o dia longe dela (e pensando nela), voltar para a casa tarde da noite, cansada e sem a menor disposição para ela… e quem sabe encontrá-la já dormindo.
Não! Eu não queria isso para mim. Eu não queria isso para ela. Eu não queria isso para nós!

E o que eu ganhei com isso?

Na verdade, eu ganhei e continuo ganhando, dia após dia, o que sempre esperei em ganhar. Eu ganho tempo de qualidade com a minha filha. Eu ganho sorrisos, eu ganho carinho, eu ganho o ‘bom dia mamãe’ mais lindo que eu poderia imaginar e vindo de um rostinho todo amassado e cabelo emaranhado, o que dá todo o charme ao momento.

Adoro preparar pessoalmente o lanche que a Luisa vai levar para a escola, cuidar do seu uniforme, ler atentamente os recadinhos das professoras, participar das reuniões e atividades escolares e estar pontualmente às 17 horas no portão da escola para buscá-la.

Adoro fazer o seu bolo preferido, tomar o café da manhã sem pressa, preparar o almoço/jantar e vê-la raspando o prato. Sentar à mesa com ela para as refeições e conversar sobre tudo e sobre nada em meio às garfadas. Adoro deitar com ela na cama, fazer a nossa oração noturna e vê-la dormir agarrada na minha mão e quando o sono está quase ficando pesado, escutar praticamente num sussurro ‘eu te amo, mamãe’.

É bom poder brincar, dar bronca, educar, dizer ‘isso não pode’, orientar, estar presente quando está com febre, cuidar.
É maravilhoso receber um abraço, um beijo no rosto e um pedido de colinho.

Sei que trabalhar fora é importante para muitas mulheres (e mães) e que isso traz uma certa realização e até um sentido na vida. Sempre gostei de trabalhar fora, ter meu dinheiro, minha independência, ter amigos que não falam sobre fraldas sujas ou mamadeiras.
Entretanto, depois que me tornei mãe, as minhas prioridades mudaram. O que dá sentido para a minha vida agora é poder fazer pela minha filha tudo o que estiver ao meu alcance para vê-la feliz.
A gente passa a perceber que há outras coisas na vida que são mais importantes do que se matar de trabalhar fora para dar tudo do bom e do melhor para os filhos, sendo que tudo o que eles mais precisam é da nossa atenção, carinho e amor.

“Um dos maiores presentes que você pode dar ao seu filho é o seu tempo. Dar o seu tempo é dar uma porção da sua vida que nunca mais vai voltar.”

Sei que muitas mulheres precisam trabalhar fora por vários motivos. Muitas são os pilares da família. Muitas precisam complementar a renda da casa. Sei que as empresas não aliviam para elas quando o assunto é maternidade. Imagino o quanto deve ser doído no coração delas ter que deixar o filho doente e com febre na escola, porque não pode faltar ao trabalho. E sei também que muitas tentam sim ter um tempinho de qualidade com seus filhos ao final do dia… mas no que fundo, ela gostariam de mais!

Então, o que eu ganhei deixando de trabalhar fora?

Eu ganhei momentos!
Momentos que ficarão para sempre guardados em nossos corações.
Momentos que dificilmente serão esquecidos.
Momentos que serão vividos em dose dupla com a chegada da Laís.
Momentos que não existiriam se eu estivesse presa em um escritório ou no trânsito pesado de São Paulo.
Eu ganhei momentos… o que para muitas pessoas não é nada, mas para mim é tudo e que para as minhas filhas significa muito!

Eu sei que um dia as minhas filhas irão crescer… irão criar asas… irão viver as suas vidas.
E vou ficar aqui. Com a certeza de que fiz a escolha certa. Eu vou ficar aqui torcendo pela felicidade e pela vitória de cada uma delas. Eu vou ficar aqui no caso de elas precisarem de ajuda, pois nos coraçõezinhos delas, elas saberão que poderão contar comigo sempre e em qualquer lugar.

Tags: , , , ,

Related Article

30 Comments

Cicília 8 de maio de 2014 at 17:00

Todos esses momentos continuamos curtindo mesmo quando trabalhamos fora. No entanto, sem o medo de se arrepender depois.

O bom de nós mulheres possuir mais acesso a educação, é que podemos fazer escolhas como por exemplo não trabalhar, mas se todas nós fizermos essa escolha, será que vai valer a pena o investimento na educação feminina?

Raquel Reply:

Oi Cicília, tudo bem? Obrigada pela sua visita aqui no blog.
Com certeza acho legal que todas as mulheres possam investir na sua educação, porém temos a vantagem de poder escolher no futuro se continuamos a trabalhar fora ou não depois do nascimento dos filhos.
Eu investi na minha educação, fiz universidade, fiz intercâmbio, fiz um monte de cursos, mas hoje me realizo cuidando da minha filha. Não me arrependo em nenhum momento da escolha que fiz.
A realização está naquilo que nos deixa feliz. Trabalhar fora e ter os cuidados da minha filha em paralelo não me deixava feliz. E não é só porque ficamos em casa que a gente precisa parar de estudar e/ou se informar das coisas que acontecem por aí. Conhecimento e informação nunca é demais. Como eu falei, os filhos crescem e daí pode surgir uma oportunidade para investir em novas experiências… quem sabe uma nova carreira?!
Ser dona de casa e mãe me tempo integral hoje em dia é muito diferente de antigamente. Não precisamos ser o tipo de mulher alienada que só fica em casa lavando, passando e cozinhando.
Bjo

Lilia Faria 8 de maio de 2014 at 20:44

Você ganhou tantos momentos de amor e prazer que fica até difícil de contar!! Querida eu sei como é, logo que engravidei da Ingrid fiz isso também. Voltei a trabalhar quando ela fez 8 anos, e logo foi a idade que eu pude ensinar pra ela como lavar louça, esquentar comida no microondas… Ah eu vi que você fez intercâmbio, fez de que? Pra onde? É um sonho da Ingrid
Beijos

Raquel Reply:

Oi amiga… como você disse, nada impede de a gente voltar a trabalhar fora depois que os filhos estiverem mais grandinhos. Essa parte da infância deles é muito rica novidades, desenvolvimento, etc… não dá pra perder.
Então, eu fiz intercâmbio sim… morei nos EUA.
Vou te mandar um email falando sobre isso.
bjo

Priscilla 9 de maio de 2014 at 10:11

Raquel, penso como você. A vida é mais que trabalho e dinheiro. A vida é relacionamento humano, família…Já vi empresas descartarem funcionários após a licença maternidade e a pessoa ficar perdida. Eu vejo como oportunidade!
Já conversei com meu marido a respeito disso, eu não quero delegar a educação dos meus filhos. Se eu tiver um emprego que seja parceiro e facilite meu lado quando filho estiver doente e tal, posso ponderar. Mas penso em um emprego de meio período quando a criança estiver na escola.
Vi minha mãe fazer isso e deu certo, vejo minha irmã fazendo isso e está dando super certo!
o que varia é o que é qualidade de vida para as pessoas. Ouço muita gente dizer que não pode parar de trabalhar senão o filho não vai poder fazer inglês, natação, viajar pra Disney…Mas o que importa mesmo é amor, carinho, alimento…se você der isso ele já vai crescer um ser humano muito bom.
Eu pondero muito a questão de parar de trabalhar por julgamentos da sociedade, da família…Minha sogra pensa que com filho é mais um motivo para eu trabalhar mais e ter mais dinheiro.

bjs
http://www.blogdapriscilla.com

Raquel Reply:

Oi Pri… hoje em dia as pessoas estão muito consumistas. Na verdade não são os filhos que precisam de mais dinheiro, e sim os pais. Claro que aqui em casa houve uma adaptação nas questões financeiras, mas nada que tirasse a nossa alegria de viver.
Hoje, com a Luisa na escola, consigo conciliar uma atividade profissional meio período. Melhor ainda que consigo fazer isso em casa. E dá super certo.
Quando eu parei de trabalhar, eu sofri muito preconceito. Depois percebi que o preconceito maior estava dentro da minha cabeça.
Na verdade, houve uma inversão de valores quanto a mulher ficar em casa hoje em dia. Se antigamente a mulher sofria preconceito por deixar a sua casa e filhos para trabalhar fora, hoje é o contrário.. a mulher sofre preconceito por querer parar de trabalhar para cuidar da casa e dos filhos. Eu sou a favor de fazer aquilo que te deixa feliz.
bjo

caroline meire 9 de maio de 2014 at 22:01

Poxa ! como sua historia é próximo a minha. E realmente não me arrependo ,não a maior satisfação do que passar o dia com minha filha e viver cada momento ao lado dela.
Um grande beijo!

Raquel Reply:

Oi Carol… com certeza são momentos que ninguém irá tirar da gente. E a cada dia a gente descobre algo novo, não é?!
bjo e bom final de semana

Dani 12 de maio de 2014 at 23:16

Lindo, lindo, lindo…você só confirmou no meu coração que é isso que eu quero… mas hoje sou daquelas cuja renda faria muita falta em casa se parasse de trabalhar… mas Deus tem seus planos. Eu nunca quis ficar em casa, mas depois que o Gabriel veio, aí que fiquei com muita vontade de estar com meus filhos. Estou em oração, pedindo a Deus que, se for da vontade dEle, que me dê os meios… e vamos sonhando!
um beijo querida!
http://www.aprendendoasermaehoje.com/

Raquel Reply:

Oi Dani… como eu falei, muitas mulheres e mães gostariam de ter a oportunidade de poder passar mais tempo com seus filhos, mas como ajudam no orçamento doméstico, isso acaba ficando para segundo plano. Mas o importante é que os momentos que vocês têm juntos são bem aproveitados, repletos de carinho… tempo de qualidade com eles, mesmo que seja pouco, já faz toda a diferença. bjo

Mariella Regina da Silva 15 de maio de 2014 at 11:00

Amiga, como você sabe eu passei pelas duas experiências: a de trabalhar fora com a Clara pequena e agora ficar em casa cuidando mais dela. O que eu aprendi com tudo isso é que realmente devemos fazer o que deixa nosso coração feliz e em paz. Quando voltei a trabalhar após a licença maternidade, eu fui tranquila e fiquei bem com essa situação por um bom tempo. Mas depois, vi que aquilo não estava mais me fazendo feliz e bateu a vontade de parar de trabalhar pra ficar mais com ela. E hoje eu estou adorando poder ficar assim. Acho que podemos nos realizar das duas formas, trabalhando fora ou não.
Pena que nem todo mundo pode optar por uma ou outra condição porque, como você disse, as vezes alguns fatores obrigam as mães a seguir um caminho que elas não escolheriam se tivesse outras opções.
No meu caso, acho que numa próxima gravidez, não vou querer voltar a trabalhar tão cedo como foi com a Clara. Espero que eu possa escolher..rs
Beijo
Mari

Raquel Reply:

Com certeza, Mari… acho que devemos fazer aquilo que nos deixa feliz. E o que me deixa feliz no momento é poder cuidar da Luisa e agora da Laís tbem. Vejo muitas mães felizes em trabalhar fora, cuidar dos filhos e tals. Fazer o que nos deixa frustradas só piora as coisas. bjo

julia silva 28 de maio de 2014 at 8:51

estou com uma dúvida cruel; optei por sair do emprego para cuidar da minha bebê de 4 meses e meu filhote de 4 anos, a minha licença acaba dia 12/04 porém acabei de passar em um concurso público que fiz quando estava grávida e eles devem chamar até agosto , o salário não é magnífico porém eu teria estabilidade e as vantagens do serviço público, só que de pensar em largar meu bebê com outra pessoa já fico muito triste, estou muito angustiada e não sei o que vou fazer. Bjs

Raquel Reply:

Oi Julia, tudo bem?
Esse é uma decisão muito difícil mesmo… mas reflita e faça aquilo que deixa seu coração tranquilo e feliz. Não vá pela cabeça e opinião dos outros. Só você sabe das suas necessidades e das necessidades da sua filha.
Te mandei um email.
bjo

Lidiane 31 de maio de 2014 at 0:45

Lindo blog, lindo texto!
Obrigada pelas palavras q acabei de ler, era o que eu precisava para recarregar as minhas baterias de dona de casa e mãe… Não há nada melhor do q estar presente no dia a dia dos nossos filhos, participo de cada momento dos meus dois amores e tenho a certeza q fiz a melhor escolha. “Um dos maiores presentes que você pode dar ao seu filho é o seu tempo. Dar o seu tempo é dar uma porção da sua vida que nunca mais vai voltar.” Vou guardar esta frase.

Forte abraço, Lidi

Raquel Reply:

Oi Lidiane, tudo bem? Seja sempre benvinda ao blog. Fico feliz que tenha gostado e se identificado com o post. Ser dona de casa e mãe nem sempre é fácil e as vezes a gente desanima, né?! O importante é que temos certeza da nossa decisão. Estar ao lado dos filhos é uma grande recompensa que vamos colhendo aos poucos no dia-a-dia.
Grande abraço.

Alliny 6 de junho de 2014 at 16:01

Olá. muito interessante voce destacar esses pontos
Eu me casei com 16 anos, engravidei 10 meses depois e nunca trabalhei por uma escolha do meu marido, com o passar do tempo eu percebi que se eu nao pudesse ter essa escolha seria muito pior. Eu nao conseguiria imaginar deixar outra pessoa cuidando do meu filho, e agora ele esta na fase de aprender a andar e eu ficaria decepcionada se perdesse isso.
Hoje em dia as mulheres sao mais independentes, querem sair trabalhar conquistar seus objetivos e nao imaginam a vida dependendo de um homem, o que pra mim é a coisa mais normal do mundo. Afinal é o nosso papel, cuidar da casa e dos filhos, e eu me sinto privilegiada de poder ter isso. Minhas amigas trabalham fazem faculdade e nem querem saber de casar, mas no futuro eu vou estar cercada e filhos com meu marido e nao vou me arrepender de ter aberto mao de tudo que eu poderia ter vivido pois o que importa é a familia.
p.s:adorei o site, sempre que puder vou dar uma passadinha, rs beijos

Raquel Reply:

Oi Alliny, seja sempre benvinda ao blog. Eu tbém não me vejo com outra vida. Eu acredito que tudo na vida tem seu tempo certo. Eu tbem estudei, trabalhei, viajei… mas agora é tempo de me dedicar à minha família. Concordo que muitas mulheres estão se dedicando mais à sua independência, mas eu tbem não tenho problemas em depender do meu marido. Ele tbém é super tranquilo quanto a isso e não fica regulando e nem perguntando porque gastei com isso ou com aquilo. Acho importante essa ‘parceria’ entre o casal. Estou super feliz com a minha escolha e tenho essa certeza dentro do meu coração. Posso dizer que somos privilegiadas, né?! bjos e volte sempre

Thaís Virgínia 25 de junho de 2014 at 14:12

Nossa amei seu blog! Te encontrei por acaso no ig e já estou aqui lendo seus posts e me identificando demais.

Ahhh vc escreveu tudo que adoraria viver com minha pequena Maysa mas infelizmente hj com meu marido desempregado nao tenho a menor possibilidade de sair do meu emprego pra ficar com ela. Ser mãe é magico d+!

o que vc escreveu sobre o preconceito nossa eu seria uma a sofrer se por acaso saisse do emprego…. Bjs

Raquel Reply:

Oi Thaís, tudo bem? Seja bem vinda ao blog e volte sempre que desejar.
Fico contente que tenha gostado e melhor ainda: se identificado com ele. Realmente essa é uma opção que muitas mulheres gostariam de ter, mas infelizmente por algumas circunstâncias as impedem disso. Mas tenho certeza de que você, assim como muitas que trabalham fora, é uma ótima mãe e está fazendo o melhor que pode pela sua filhota. Agora isso não é possível, mas quem sabe futuramente? heheheh
bjo e obrigada pelo carinho

Marina Cunha 28 de junho de 2014 at 10:56

Pois é, imagina só se todas as mulheres ficassem em casa cuidando dos filhos, aconteceria um colapso na sociedade, pois todos os empregos “de mulheres”, que os homens não querem fazer pq são mal pagos e mal vistos ficariam sem ninguém para fazer.
Tenho uma tia que nem vc, hoje os filhos dela tem 26 e 24 anos, um é casado e mora longe, outro se mudou de estado para fazer faculdade, hoje é ela está sozinha sendo empregada do marido. E viu que a vida toda se matou pelos outros e nunca pensou nela…

Raquel Reply:

Oi Marina, tudo bem? Seja bem vinda ao blog.
Olha… eu não vejo dessa forma como você descreveu. Hoje em dia só fica escrava da casa, filhos e marido quem quer. Conheço muita mulher nem tão novinha assim que faz faculdade ou faz alguma outra coisa para se realizar, mesmo depois de ter criado os filhos. Nunca é tarde para se realizar um sonho. Como eu disse, não é porque estou em casa que fico sem fazer nada, digo: só cuidando da casa, filha e marido. Eu continuo tendo objetivos, me atualizo, estudo, etc… mas sem aquela pressão de ter um chefe ou aquela obrigação de cumprir horários rígidos, pegar trânsito e tals.
E qual a vantagem de as mulheres fazerem o trabalho que o homem não quer fazer?
Não vejo vantagem nenhum em sair de casa para fazer um trabalho que nem sempre deixa a mulher realizada, ganhando mal ainda por cima.
Essa é a minha opinião.
Bjo e volte sempre!

Clarissa 2 de julho de 2014 at 3:40

Nossa, me identifiquei muito com o texto!! Estou batalhando com o meu marido para que eu possa ficar com minha filha. Cada dia tenho mais certeza de que as crianças precisam de suas mães e o quanto isso é importante pra elas, maiz do que luxo e presentes caros! Minha filha de 7 meses se chama Raquel! Adorei o blog! Parabéns!

Raquel Reply:

Oi Clarissa, tudo bem? Seja bem vinda ao blog! Fico feliz que tenha gostado e se identificado. E quer dizer que tenho uma xará de 7 meses? Adorei!
Com certeza aqui em casa a gente viu mais benefícios com o fato de eu ficar em casa do que trabalhando fora. As coisas materiais passam logo, mas os momentos ficam para sempre no coração de quem a gente dedica… e no nosso tbem. Fico na torcida para que você consiga vencer essa batalha. Com jeitinho eu acho que dá pra convencer o maridão de que essa dedicação será a melhor escolha para a sua filha. bjo

Clarissa 2 de julho de 2014 at 14:00

Sim verdade! Raquel, acho q nao me expressei bem, quando disse q estava na batalha com meu marido, quis dizer q estamos juntos correndo atras pra eu poder ficar em casa com minha filha! Graças a Deus ele tb pensa q é melhor pra nossa baby.Ah…Raquel é um nome lindo, sua mae teve muito bom gosto! Kkkk
Um beijo!

Raquel Reply:

Ahhhhhhhh….. entendi! hahahaha
Sendo assim, já é 50% do caminho andado né?! Pois muitas mulheres não contam com esse apoio do marido.
Então, retificando: eu fico na torcida para que vocês JUNTOS consigam resolver o que for preciso para que isso aconteça e você possa dedicar ainda mais tempo para a sua filhota.
😉
bjos

Rafaele 2 de dezembro de 2017 at 0:09

Amei seu blog.
É tudo o que eu estou vivendo no momento com meu esposo a indecisão de parar de trabalhar pra ficar com minha filha de 4 anos, penso muito no julgamento dos outros em relação a isso, mais lendo sua mensagem tenho mais certeza do que nunca que minha família precisa de mim, bjoss

Raquel Reply:

Oi Rafa, tudo bem? Julgamentos virão de todos os lados, até mesmo de vc… O maior preconceito está na nossa cabeça. Uma vez que a gente se assume e não está nem aí para a opinião alheia, tudo flui melhor. Obrigada pela visita. Venha sempre que puder. bjos

Priscila 20 de maio de 2018 at 14:16

Sempre trabalhei desde os 15 anos, casei, engravidei e logo voltei a trabalhar. Assim conseguia dar “tudo” a ele (bens materiais, passeios caros) tive dificuldade em perceber que o que ele precisava era só meu tempo, um colo minha atenção que por conta do meu trabalho cansativo faltava pra ele. Hoje me dedico como mãe, parei de trabalhar, não me arrependo e é Exatamente essa alegria e satisfação que você vive estou vivendo em poder participar de cada momento, cuidar, educar meu filho. Não há dinheiro que pague essa felicidade.

Raquel Reply:

Oi Pri, obrigada pela visita no blog. Fico contente que tenha se identificado com o post. Já faz quatro anos que escrevi esse texto e de lá pra cá muitas coisas aconteceram, mas esse sentimento descrito no post continua… e agora em dose dupla, já que tenho duas filhas. Infelizmente, ser mãe e dona de casa em tempo integral não está na moda e somos criticadas por isso… mas uma vez que estamos bem resolvidas com a nossa decisão, a opinião dos outros não importa, né? Bjos pra vc e sua família.

Leave a Comment

Carregando...